Assista ao trailer de Fingindo que sou um Super-Homem: A história do Tony Hawk Video Game e tente não ser atropelado pelo ônibus da nostalgia. Vá em frente, tente.

O documentário, produzido pelo ex-funcionário da Neversoft, Ralph D’Amato, contará a história de como a cultura do skate quase desapareceu nos anos 90 antes de explodir no mainstream. Sua ascensão pode ser atribuída diretamente aos X Games, Tony Hawk e, é claro, Tony Hawk Pro Skater.

Fingir que sou um Super-Homem (uma referência à música Goldfinger com o mesmo nome que foi apresentada no Tony Hawk Pro Skater 1) estreará em 29 de fevereiro no Mammoth Film Festival. Haverá um painel de discussão com Ralph D’Amato e o restante da equipe por trás do documentário, o cineasta sueco Ludvig GÜr e os skatistas profissionais Rodney Mullen e Tony Hawk. E sim, a banda cover oficial do THPS, The Downhill Jam, estará se apresentando no afterparty. Honestamente, estou triste por não poder estar lá, mas você ainda pode comprar ingressos se estiver interessado.

O primeiro THPS foi lançado em 1999, e me lembro muito bem do nível do Warehouse – você começaria a enfrentar uma parede de vidro maciça, atravessá-la e entrar em uma sala construída para trituração. Eu sempre escolhia Elissa Steamer, como ela era a única skatista, e passava horas tentando percorrer um circuito perfeito pelo Warehouse, eventualmente aprendendo as letras de todas as músicas da trilha sonora..

Se tudo isso faz você se sentir nostálgico, parabéns, você é humano. E, embora não pareça haver mais jogos de Tony Hawk Pro Skater no horizonte (ou Skate 4, por sinal), você pode conferir o Session, que será lançado no Xbox One ainda este ano..

Se você está curioso sobre o simulador de skate da Crea-ture, confira nosso Visualização da sessão.

Leia também  Edge Magazine Presents: Game Changers - Sega fecha o negócio de console